Construções novas de Niterói terão que fazer reuso de água

Por: Lívia Neder 26/07/2011

Via O Fluminense

Responsáveis pela construção de novas edificações públicas e privadas em Niterói, com mais de 500 metros quadrados, terão que incentivar a partir de agora o reúso da água. Os prédios deverão implantar sistemas para a reciclagem das “águas cinzas” – utilizadas nos chuveiros, banheiras, lavatórios de banheiros, tanques e máquinas de lavar. A determinação consta na lei nº 2856, sancionada em 26 de julho pelo prefeito Jorge Roberto Silveira. O objetivo da proposta é induzir o uso racional da água, mas os condomínios também saem ganhando, pois a medida vai diminuir consideravelmente a conta d’água.

A nova norma, de autoria do vereador Paulo Bagueira, presidente da Câmara, estende obrigações da lei municipal 2630, de 7 de janeiro de 2009, que trata do reaproveitamento da água das chuvas. Para o prefeito Jorge Roberto Silveira, com a implantação de novos sistemas de reciclagem de água, Niterói está cada vez mais no rumo da sustentabilidade.

“Tenho o maior empenho em avançar nas questões ambientais, sobretudo nas que sejam inovadoras como esta”, declarou Jorge Roberto.

A Prefeitura explica que a lei só trata de novas edificações porque obras de adaptação para este tipo de sistema são caras e muito complicadas. E, segundo o Executivo, a diminuição na conta d’água em locais que contam com o método chega a 60%.

De acordo com a norma, novas obras que tenham volume potencial de consumo igual ou superior a 20 metros cúbicos de água por dia devem possuir sistema de coleta e tratamento das águas cinzas.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Fernando Guida, explica que sistemas de reúso de água cinza já estão implantados, por iniciativa de construtores, em 18 edifícios residenciais e uma empresa de ônibus na cidade. Segundo ele, o retorno financeiro da implantação dos sistemas de reutilização é obtido em poucos meses, com a economia nas contas de água.

wikimedia commons

Veja aqui a continuação desta notícia.